Programa: Educação da Emancipação, Pesquisa Científica e a Fenomenologia

Este Programa de Pesquisa alinhado ao Grupo de Pesquisa Ictiofauna Marinha, e ao Grupo de Pesquisa: Educação e Emancipação da Ciência e da Tecnologia, lotados no Centro de Estudos do Mar, da Universidade Federal do Paraná, tem como horizonte debater e organizar recursos teóricos e metodológicos, que possibilitem o desenvolvimento de programas de pesquisa científica e de educação escolar e não escolar, com foco na Emancipação da Vida e com direção anticolonial. O Programa com suas pesquisas decorrentes e projetos de extensão visa atuar cientificamente sob a égide da fenomenologia referenciada em Johann Wolfgang von Goethe (fenomenologia Goetiana), tanto na pesquisa ao debater as questões metodológicas e o fazer ciência, quanto na educação e em especial na formação de professores e organização de materiais pedagógicos. A matriz teórica deste programa se ampara na fenomenologia referenciada em Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832), em Rudolf Steiner (1861-1925) e em Wilhelm Flusser (1920-1991); como viés anticolonial na perspectiva da libertação e da autonomia está referenciada em Franz Fannon (1925-1961), Álvaro Vieira Pinto (1909-1987), Theodor Adorno (1903-1969), Albert Memmi (1920), Hilton Japiassú (1934-2015) e Henrique Dussel (1934) e com o viés educacional em Paulo Freire (1921-1927), Leonardo Boff (1938) e Henry Lefebvre (1901-1991), dentre outros. O Programa conta ainda com subsídios, para a questão multi e intercultural, e multi e interétnica com levantamento de dados coletados junto a comunidades originárias da América Latina (Brasil, Colômbia e Perú) e de saberes decorrentes da cosmovisão Bantu, característica de comunidades da África subsaariana. O programa na perspectiva cultural, étnica, histórica e de cosmovisão, particulares de cada grupo acadêmico, social e étnico, tem o propósito de interagir e questionar posturas hegemônicas caracterizadas como colonialistas e colonizadoras. Essa interação terá culminância na organização de meios e recursos focados na formação de pesquisadores e professores e no desenvolvimento de materiais de ensino com abordagens decorrentes das interações comunitárias, alinhadas com o que propõe a fenomenologia goethiana. A opção política inerente a este processo está referenciada na perspectiva da Emancipação Humana e nessa perspectiva a Educação como processo intercultural caracterizada como processo trans, inter e disciplinar, trata da complexidade com que se apresenta a diversidade contemporânea frente à necessidade de viabilizar Emancipação Humana como Formação Humanista Planetária.

 

PESQUISA 1 – Fenomenologia Goethiana na Educação e na Pesquisa Científica.

Resumo:

Investiga a abordagem da Educação e da Ciência amparadas na fenomenologia desenvolvida por Johann W. Goethe, a qual se caracteriza como desafio contemporâneo, ao propor a educação como agente de mudanças caracterizadas como metamorfose nas pessoas a ela vinculada e a pesquisa científica como processo dinâmico e mutante. Essa opção interage com as abordagens empírico-analítica e crítica, questionando-as e promovendo um confronto no sentido de ampliar os horizontes educacionais e investigativos, para além das fronteiras estabelecidas pela academia objetivista, diretiva e também crítica. Com base na fenomenologia goethiana, pretende-se desenvolver proposta educativa que aponte a Educação como processo Anti-Colonial, amparada na filosofia da liberdade de Rudolf Steiner e na pedagogia freiriana de Libertação. Liberdade conforme Steiner e Libertação conforme Freire, apontam, que liberdade se constitui no direito e oportunidade de cada pessoa se responsabilizar, por escolhas adotadas com consciência crítica, e que libertação se desenvolve com a finalidade de promover ações que possibilitem alcançar o “libertas”, que se caracteriza como a plenitude social e ontológica, a ser alcançada pelas pessoas que se empenharem para tal fim. Essa posição mostra que tanto liberdade quanto libertação partem do indivíduo para o coletivo, assim se tem Educação da liberdade e da libertação e não educação libertadora. Essa opção inédita em muitos setores acadêmicos, voltados para a educação e a fenomenologia, organiza a pesquisa científica vinculada às Ciências Humanas e Ambientais, sob referencial diferente do usual. Essa pesquisa se encontra em fase final de desenvolvimento caracterizando-se como matriz para organizar neste Programa, a Pedagogia da Pachamama (Mãe Terra) e a pesquisa científica, caracterizada como postura investigativa que tem como foco principal a mudança (metamorfose) do docente, do discente e do investigador. Essa posição coloca o resultado esperado para o tema investigado em plano decorrente do processo desenvolvido pelo pesquisador. Como resultado temos a edição do livro “Pesquisa e Educação como interação entre a Fenomenologia de Goethe e a Pedagogia de Freire”.

 

Pesquia 2 – Pedagogia da Pachamama (Mãe Terra), como processo Trans, Inter e Disciplinar, de natureza intercultural e interétnica.

Resumo

Essa pesquisa com suas quatro abordagens se refere à educação que se apoia em cosmovisão e conhecimentos originários e transcendentais, de povos originários do Brasil, da Colômbia e do Peru e também de etnias africanas. A base teórica dessa pesquisa, referendada em bibliografia diversificada e vivencia docente, organizando-se como processo transdisciplinar amparado em Princípios Essenciais, como processo interdisciplinar amparado em Abordagem de Relação e em Referencias Cognitivos e também se organiza como processo disciplinar por meio de Temas Relevantes. Essa abordagem conta com resultados de quinze anos de pesquisa teórica e de campo do coordenador do programa, que a sustenta ao nível ontológico, antropológico, sociológico e filosófico, para constituir a “Pedagogia da Pachamama”. Essa proposição se refere à compreensão de proposta educativa, referenciada na diversidade e complexidade planetária, ao buscar comunicação e interação. Refere-se também à necessária sensibilização, operacionalização e superação dos desafios postos pelo cotidiano. Essa abordagem, pretende mostrar a educação como processo dinâmico de revitalização da humanidade roubada e vilipendiada, pelos processos coloniais e colonialistas que imperam e imperaram em nosso cotidiano. O propósito é evidenciar a emancipação da vida como meio para enfrentar a naturalização paralisante, e também tem o propósito de superar a competição e a acumulação segregadora e individualista, bem como a alienação decorrente da dinâmica colonial e colonialista vigente que habita a consciência das pessoas a ela submetida. Um ponto relevante nesse processo é a permanente preocupação com as palavras utilizadas, pois consideramos a proposição de Bakhtin, segundo o qual, uma palavra somente tem sentido e significado quando inserida em determinado contexto, que é representado em um texto constituído considerando tempo, espaço e conhecimento a ele vinculado, daí a importância de caracterizar o que constitui a perspectiva semântica e semiótica, bem como identificar a dimensão de cibernética que atua como agente pelo qual permeiam os poderes inerentes a cada texto. Ainda cabe destacar nesse sentido, que no título dessa pesquisa se adota a preposição de, e não para, pois nessa investigação que tem a pedagogia freiriana como um dos referenciais se buscam saberes inerentes ao grupo junto ao qual se pretende interagir, por isso da Educação e não para a Educação. Este processo investigativo se desenvolverá como pesquisa bibliográfica e debates coletivos e grupais com diferentes atores acadêmicos de diferentes IES, nacionais e internacionais, tendo como referencial investigativo a proposta de pesquisa veiculada a partir da fenomenologia proposta por Johann W. von Goethe e enunciada para a educação de forma preliminar por Rudolf Steiner. O resultado se manifestará com proposta de programa de formação de professores e edição de livro que aponte a perspectiva trans, inter e disciplinar da Pedagogia da Pachamama (mãe terra) que se desenvolve com base na fenomenologia de Johann W. von Goethe e da Pedagogia Freiriana. Este projeto desenvolverá Power Points veiculados por meio de Site próprio (profjacob.com.br) para veicular gratuitamente os resultados pedagógico-didáticos desta pesquisa.

 

Pesquisa 3 – Educação da Emancipação Humana (Educação Ambiental): cosmovisão, interculturalidade e vida planetária.

Resumo

Essa pesquisa tem a educação amparada na fenomenologia goethiana e na Pedagogia da Pachamama, como meio para debater a vida, como processo trans, inter e disciplinar, no contexto dos ecossistemas naturais e antropogênicos. Busca a compreensão da ação humana com base em sua complexa natureza, frente às interações ambientais e sociais, referenciadas em diferentes aspectos e posições políticas, históricas e de cosmovisão. Essa abordagem se ampara na identidade ontológica das pessoas a qual se mostra como processo em permanente metamorfose. Assim, são debatidos os referenciais que orientam as legislações ambientais e a emancipação humana na dicotomia naturalização e historicização e na confrontação entre direito e justiça Essas posições de enfrentamento se justificam frente à dificuldade de estabelecer o que caracteriza a vida com dignidade, em contexto no qual interagem simultaneamente, além das ações ambientais e planetárias, as ações humanas permeadas por valores e posturas, que são ao mesmo tempo, inovadoras e conservadoras, e sempre incompletas, inconclusas e inacabadas. Para tal se tem essa dinâmica como processo de eco-reorganização (desorganizativo/organizativo) com perfil caótico, quântico, complexo e relativo. Nesse complexo contexto, a sociedade se apresenta como “locus” de relações contraditórias, as quais se justificam com argumentos que sustentam o fazer humano mas que de certa forma, corroboram ou se chocam com a proposta de vida planetária andina do Bem Viver. É ao apostar na consciência dessa diversidade que a pesquisa, foca a construção de conhecimentos, que debatam essas questões, sem obviamente, encontrar respostas definitivas. Com esses propósitos, essa pesquisa pretende evidenciar, o que é conhecido como Educação Ambiental como algo que se configura com espectro amplo e responsável pela vida planetária, ou seja, como Educação da Emancipação. A pesquisa se caracteriza como bibliográfica com debates envolvendo diversos integrantes acadêmicos de educação em todos os níveis de ensino e de diferentes instituições, conduzida a partir dos pressupostos investigativos referenciados na fenomenologia amparada em Johann W. von Goethe. Como resultado mais imediato essa pesquisa pretende desenvolver programa de “Educação da Emancipação” na modalidade de Ensino à Distância com percentual significativo de interação presencial.